Cuidados

 

Alimentação

Qual ração devo dar pro meu Westie? Essa é uma pergunta que eu frequentemente recebo dos meus leitores. Uma pergunta que eu adoraria responder: NENHUMA! Dê apenas alimentação natural que tudo ficará sempre bem 🙂

Mas infelizmente não é bem assim e eu sei que nem todos estão dispostos a aceitar o novo. Porém, felizmente estou longe do mercado de rações há 5 anos, e dessa forma não estou capacitada a opinar (acredito que nesses 5 anos eles devem ter evoluído um pouco neam…ou não rs).

Afinal, o que é alimentação natural?

Quando comecei a ler sobre as vantagens de alimentar os cães com comida, simplesmente, como muitas pessoas, não acreditei no que lia:

  • Fezes de tamanho reduzido com odor discreto (essa eu pensei quando li: pago pra ver! … é claro que quebrei a cara rs);
  • Cachorro com cheirinho bom, e com a pele mais mais saudável,
  • Rins funcionando a todo vapor (a dieta natural tem 7x mais água que a ração).
  • Cães lindos e saudáveis, sedentos pelo seu alimento – um sonho, pra quem convivia com 5 cães super seletivos e aborrecidos com aquela ração sem graça.
  • Enfim, me interessei pela proposta e fui pesquisar. Li inúmeros artigos, durante uns 3 meses, até ter coragem de trocar. O fim da história, vocês já sabem..rs.

Para explicar um pouco mais, resolvi falar resumidamente dos tipos de dieta natural para cães que existem:

barfDieta BARF

BARF vem do inglês e significa Biologically Appropriate Raw Food, que traduzindo seria “Comida Crua Biologicamente Apropriada”. Foi desenvolvida no final de 1980, pelo médico-veterinário australiano Ian Billighurst que propôs que os cães seriam aptos a voltar seus primórdios e se alimentar de uma dieta natural que imitasse a dieta dos lobos, seus ancestrais.

A dieta é composta de componentes 100% crus, inclusive as carnes, vegetais crus liquidificados e ossos crus carnudos (pescoços, asas, dorsos, cabeças de aves, cauda de boi, pescoço de cordeiro ou leitão e partes de coelho). Inclui ainda: peixes, ovos e vísceras. Os grãos, legumes ricos em amido e óleos vegetais são excluídos da BARF.

 

rawRaw Meaty Bones e Prey Model

Essa é uma outra modalidade de dieta muito popular pelo mundo afora, significa “Ossos Carnudos Crus” e também vem da Austrália. Desenvolvida pelo veterinário Tom Lonsdale, amigo de Ian Billighurst. Eles iniciaram seus estudos juntos, mas em algum momento descobriram que pensavam de modo diferente. Para Ton Lonsdale, os cães não precisavam de vegetais, frutas, carboidratos e suplementos.

Segundo ele, cães eram carnívoros e precisavam de dieta a base de ossos carnudos crus e outros alimentos de origem animal, como vísceras. A partir de suas propostas, as dietas vieram sendo difundidas mundo afora e se tornaram um grande sucesso em países como Oceania, Europa, Canadá e Estados Unidos. Lá, milhões de pessoas já alimentam seus cães com dietas naturais e, no mundo inteiro, muitas empresas já comercializam o esse tipo de dieta, veja:

cozidaDieta caseira cozida

Após o lançamento das teorias, obviamente, muitas pessoas tinham receio de dar ossos crus e carnes cruas aos seus peludos. Com isso, nasceu a dieta caseira balanceada: composta de proteína animal de alta qualidade, carboidratos de baixo índice glicêmico, legumes, verduras, hortaliças, e claro, suplementos para balancear e repor as vitaminas perdidas no cozimento.

Nessa dieta não há componentes crus e nem ossos, e por isso, ela conta com um complemento de vitaminas e cálcio. O alimento cozido é o mais atraente para o cães, pois a dieta pode ser servida aquecida e, como isso, libera um aroma que eles reconhecem de longe. É também uma dieta bem adequada para cães com o sistema gastrointestinal sensível, pois possui um coeficiente de digestão bem alto. Muitas empresas comercializam esse tipo de dieta pelo mundo:

Agora que você já sabe o que é alimentação natural, vale a pena saber o que não é né?

Alimentação natural não é:

  • não é dar restos das nossas refeições: nem tudo que você come o seu cão pode comer!
  • não é dar apenas frango, arroz branco e cenoura: você não achava que isso era uma refeição completa, achava?
  • não é aquele cozidão do papai ou da vovó: pode até ser feito com muito carinho, mas perde pontos quando analisamos a proporção e as medidas certas dos nutrientes.
  • não é a última moda, nem tendência de mercado: vendo pelo lado histórico, alimentar cães com comida é coisa da mil-novecentos-e-bolinha né?
  • não é dieta caseira vegetariana, nem uma versão diet para o seu cão emagrecer: a comida natural pode até trazer o benefício de ajudar seu peludo a perder peso por ter baixo teor de carboidrato em relação à ração, mas ela não tem esse objetivo e nem foi projetada pra isso. É uma alimentação completa, sem aditivos químicos, que equivale a um alimento super premium.
  • não é uma dieta composta de metade ração e metade comida caseira: você pode até misturar um alimento natural comercial com uma ração comum, e claro, haverá algum benefício nisso. Mas uma mistura de carne, um pouco de arroz e ração está longe de ser um alimento balanceado.

Após anos comprovando os benefícios da alimentação natural, resolvemos montar um fábrica em nossa cidade. Você pode conhecer um pouco mais desse trabalho clicando aqui.

Pelagem

Provavelmente você deve ter se sentido atraído por um Westie por causa da sua aparência de ursinho. Pois bem, saiba que a pelagem dele exige bastante cuidados: escovações semanais, tosa, hidratação, etc. Mas, mesmo sendo uma raça bem peludinha, os Westies soltam poucos pelos porque o seu ciclo de renovação é bem espaçado. Menos mal né? Pelo menos alguma vantagem.

Eles também são considerados cães de pelagem seca e isso quer dizer que possuem menos odor (ranço) que cães de pelagem oleosa (quanto mais oleosa é a pele de um cão, mais cheirinho de “ranço” ele terá). Ok, temos um cão com pouco cheirinho…mas sua felicidade será por pouco tempo: eles são BRANCOS! Siim, isso quer dizer que qualquer sujeira logo será percebida (e quem tem mania de cachorro limpo, se desespera rs).

Nesse contexto – a mania de limpeza frequente e da brancura a qualquer custo, é que moram as armadilhas mais comuns para os donos de westies: os Westies não devem tomar banhos semanais (na verdade cão de raça nenhuma deve). Dessa forma, os futuros donos de Westies devem REALMENTE avaliar se conseguirão ver sua bolinha de pelos branca com uma certa poeirinha agarrada no pelo.

Quando a frequência de banhos correta é respeitada, a barreira natural da pele do cão é mantida e o Westie não apresenta problemas de pele e, óbvio, nenhum odor (ufa, outra vantagem!).

Evolução da pelagem

O Westie é como o patinho feio da história infantil, rs… Lembra? Aquele que era feioso e depois virou um cisne? Então, na fase de filhote o Westie parece um cãozinho vira-lata. Muitas vezes, muitos donos acham que foram enganados. E se você está com essa dúvida… não se preocupe, com o tempo seu bebê se tornará um adulto fofucho – a raça demora cerca de 2 anos para definir sua pelagem completamente.

A primeira tosa pode ser feita entre 4 a 5 meses. O ciclo de tosas vai depender do tipo de pelagem e, siiim! Eles possuem pelagens diferentes entre si! Alguns tem cabelos mais fofos, outros mais lisos, outros mais duros e por ai vai!

Westies de pelagem mais fina (a qual tecnicamente chamamos de lanosa) tendem a ter o crescimento mais rápido e exigir uma tosa trienal. Já aqueles com pelagem mais duro, exigiram tosas menos frequentes. Como vantagem, os Westies de pelagem lanosa ganham o formato de adultos logo cedo e com 6 a 7 meses já se assemelham a um Westie adulto. Já a pelagem dura demora cerca de 2 anos para montar a cabeça cheia e a saia.

O tipo de tosa também influencia na frequência do crescimento do pelo: tosquia à maquina faz o pelo se desenvolver mais depressa que quando se usa o hand-stripping, a tosa oficial da raça.

Ah, você também precisa saber que a quantidade, a qualidade e a característica dos pelos, dependem de uma boa carga genética. Podemos entender isso, pense nos cabelos humanos: algumas pessoas possuem cabelos fartos e abundantes e outras cabelos finos e ralos.

Geralmente herdamos essas características de nossos pais, não é mesmo? Sendo assim, não adianta esperar que um filhote de pelagem “ralinha”, se torne um adulto de pelagem exuberante. Também não espere que o cão desenvolva “saia que arrasta no chão”, se esta característica não fazia parte do pool genético de seus pais.

No blog você encontrará muitas informações sobre tosa e pelagem

Escovação

Para o Westie a escovação é muito importante, pois é através dela que organizamos o sentido de crescimento do pelos e estimulamos o desenvolvimento da pelagem. Você pode utilizar uma escova de cerdas de pinos e escovar no mínimo 3 vezes por semana para manter a pelagem bonita. Avalie ter uma raça de pelagem curta se não estiver disposto a manter a regularidade de escovação de um cão peludo.

SENTIDO DA ESCOVAÇÃO

  • Cabeça: da nuca para a frente
  • Pescoço e dorso: da nuca para o rabo
  • Laterais e saia: do dorso para baixo

Não se esqueça de escovar embaixo pernocas, pois esses são os locais que mais criam nós. Lembre-se que essas áreas são mais sensíveis e desmanchar nó nessas áreas é muito dolorido para o cão. Além disso, o processo exige que ele passe maior tempo na mesa de groomming, o que deixará seu amigo bem estressado.

Unhas

As unhas do seu cão devem ser aparadas ou cerradas a cada 15 dias. O corte varia entre 1 a 2mm. Deixar de cortar as unhas deles podem acarretar problemas no ergot ou o “quinto dedo” do lobo, que ainda se mantém nos Westies – por não ser mais utilizado, a unha desse dedo pode crescer ao ponto de virar e furar o seu cão. Além, claro, da possiblidade de acidentes nas brincadeiras (imagine uma brincadeira terminando em uma emergência veterinária por uma unha dilacerada?).

Quando as unhas não são cortadas, o leito ungueal acompanha o crescimento da unha e se expande mais que o necessário. Isso provoca dor e sangramento no próximo corte. Por isso, não se assuste se seu cão voltar do banho e tosa com aparência de quem não cortou as unhas se você tiver ficado mais de 6 meses sem cortá-la (o leito ungueal desenvolvido precisa de muitas sessões de corte para retornar ao normal).

Existem lixadoras automáticas que são bem seguras , que você pode adquirir por preços bem acessíveis. Mas lembre-se: quanto mais cedo o seu filhote for acostumado com as sessões de manicure, mais amigável será o processo na visão dele.

Orelhas

Assim como nós, os cães possuem níveis diferentes de produção de cera. Assim, você deve inspecionar as orelhas semanalmente. Alguns cães quase nunca precisarão ter seus ouvidos limpos. Meu veterinário Lenilson Filho costuma dizer que o ouvido de um cão deveriam ser iguais a uma geladeira frostfree, que se limpa sozinho! Mas, sabemos que isso não é verdade. Assim, alguns cães precisarão de uma ajudinha na limpeza, pois a sujeira não vai desaparecer magicamente por conta própria.

O excesso de cera pode promover a proliferação de fungos e bactérias causando otites no seu amigo. Para limpeza, dê preferencia a produtos naturais, tais como, calêndula e hamamélis. Utilize grande bolas de algodão para aplicar os produtos e higienizar – nunca utilize cotonetes no canal auditivo de seu cão.

Lembre-se sempre: a limpeza, a escovação e a higiene prévia do seu cão minimizam o tempo e o stress dele no banho e tosa.