skip to Main Content

Meu Westie mofou!

Pessoas e cães têm uma quantidade normal, em níveis saudáveis ​​de leveduras que ocorrem naturalmente.

As leveduras, assim como os bolores, são fungos, mas deles se diferenciam por  se apresentarem, usual e predominantemente, sob forma unicelular. Sua reprodução vegetativa se faz, geralmente, por gemulação ou brotamento. Como são células simples, as leveduras crescem e se reproduzem mais rapidamente que os bolores.

Algumas leveduras não formam esporos e são consideradas como “Fungos Imperfeitos” e outras produzem esporos sexuados.

fugosss1

É típico e normal na flora canina uma leve camada de leveduras (um estágio de vida dos fungos). Os níveis se mantém saudáveis graças ao sistema imunológico equilibrado.

questionComo ocorre uma infecção por leveduras?

Imagine que o sistema imunológico seja como um espectro – o seu cão precisa estar no meio, onde indica o equilíbrio. É assim que você vai querer o seu cão, equilibrado!

spectro
Assim, um sistema imunológico com baixa atividade, pode permitir o crescimento das leveduras, pois não vai manter o equilíbrio. Na outra extremidade do espectro está uma resposta hiperativa, ou seja, acima do normal. Ela ocorre quando há as alergias e neste caso, TAMBÉM, podem favorecer problemas com leveduras.

Quando um veterinário tradicional trata de um cão com alergias – que no caso está com o sistema imunológico hiperativo – normalmente irá prescrever terapia com esteróides para DESLIGAR a resposta imunológica – esta terapia melhora os sintomas, mas não corrige a causa das alergias.

Quando o sistema imunológico do seu cão é desligado com essas drogas, ele poderá deixar de fazer o seu trabalho de regular e equilibrar os níveis normais da flora, aquela que antes estava controlada. Assim o seu animal de estimação acaba tendo a flora de leveduras aumentada!

Por outro lado, quando os veterinários convencionais tratam cães com alergias e infecções da pele, que possivelmente são uma infecção secundária, muitas vezes, eles prescrevem antibióticos.

Antibióticos destroem todas as bactérias, tantos as boas como as más. As boas ajudavam a controlar a população das leveduras, assim essas drogas frequentemente fazem a situação ruim ficar ainda pior.

Ainda existe uma outra razão, cães alérgicos em especial podem acabar desenvolvendo uma alergia à sua própria flora. Nestes casos, os testes intradérmicos, muitas vezes, revelará que o cão está tendo uma reação alérgica à sua flora natural.

Esta situação pode ser muito problemática, porque a resposta alérgica do cão pode afetar o corpo todo. Estes cães frequentemente possuem a pele vermelha da ponta do nariz à ponta da cauda, ou seja, a pele do corpo inteiro é vermelha e irritada.

Assim, cães com sistema imunológico hipoativo, ou imuno-suprimido, poderá ter uma infecção por fungos, bem como, cães que possuem o sistema imunológico hiperativo, ou alérgico/atópico.

prettinessQuais os sinais e sintomas de um cão com fungos?

O diagnóstico definitivo deve ser feito por um veterinário. Os exames podem ser feitos de duas formas:

EXAME DIRETO OU CITOLÓGICO: feito por meio da coleta de material da pele e analisado diretamento ao microscópio.

esporos

Esporulação em “roda de leme”

EXAME DE CULTURA: coleta o material com swab estéril e manda pro laboratório para cultivo do material em placas de petri (uma espécie de recipiente fechado próprio para cultivar fungos e bactérias).

fungos em agar sabourad

Cultivo de fungos em meio Agar Sabouraud

Mas, você como dono do animal poderá ser capaz de observar uma coisa muito importante no seu cão: o cheiro da infecção. As leveduras possuem um odor muito característico. Algumas pessoas descrevem como “cheiro de pão bolorento”, outros comparam com cheiro de “pipoca de queijo” ou “salgadinhos de milho”.

De fato, algumas pessoas descrevem a infecção por fungos nas patas e com um cheiro de mofo desagradável, pungente. Esse odor que ocorre na infecção por fungos não é um odor normal do cão. Cães saudáveis ​​não têm um “odor de mofo”.

Portanto, se seu cachorro está com fedor nas patas ou cheiro de mofo nos ouvidos, há chances de que ele esteja com um crescimento de levedura além do normal.Outro sinal é o prurido (coceira).

Crescimento de levedura é extremamente pruginoso. Se o problema for com as patas, ela não será capaz de deixá-las sozinhas, ou seja, irá lamber compulsivamente. O mesmo vale para os ouvidos.Se o seu cão está gastando muito tempo em se coçar, tome cuidado, pode se tratar de uma infecção bacteriana ou por levedura e ele precisa de sua ajuda para resolver o problema.

smileComo podemos ajudar?

1a. PASSO: DIMINUIR A QUANTIDADE DE LEVEDURAS DO CORPO

Saiba que o sistema imunológico pode lidar com a levedura, mas há algumas coisas que você pode fazer pra ajudar, por exemplo:

2a. PASSO: MELHORAR A DIETA

Não é raro um cão ter infecção apenas em um local (spot) como no ouvido por por exemplo. Se esse for o seu caso, você pode começar apenas usando medicamentos de limpeza locais, com poder fungicida (fale com seu veterinário pra saber qual usar). Mantenha os dedos cruzados e torça para que o sistema imunológico dele possa re-equilibrar a flora natural.

Mas, se o seu cão, como a maioria, tem infecção por levedura em mais de um spot, como por exemplo, nas quatro patas ou ambos os ouvidos, ou se ainda, o corpo todo estiver apresentando a infecção, tente analisar a dieta do seu animal.

A dieta é a base da saúde. A maneira como você alimenta o seu cão ou vai ajudar o seu sistema imunológico gerenciar a população de leveduras, podendo superalimentar a situação e provocar o aumento das leveduras existentes.

Assim, eu aconselho optar por uma dieta que eu chamo de “dieta anti-levedura”. E ainda pode ser considerada uma “dieta anti-inflamatória” dependendo do caso.

Leveduras precisam de açúcar como fonte energia. Os carboidratos se dividem em açúcar. Tanto médicos como veterinários aconselham pacientes com infecção por fungos e leveduras à manter os açúcares fora de suas dietas.

E o açúcar que falamos aqui não é exatamente o pó branco que adoçamos nossos alimentos. Há os outros tipos de açúcares, como por exemplo, mel, batatas brancas, batata doce, petiscos variados, pães, bordas de pizza etc.

Embora o mel possa ser ser benéfico para animais de estimação em alguns casos, ele é uma ótima fonte de alimento para as leveduras. Portanto, se seu cão está com fungos, você precisa ler atentamente o rótulo da ração dele e dos petiscos e evitar de ofertar produtos que contenham mel, xarope de milho rico em frutose, batatas brancas e batata doce.

Se seu cão está apresentando um problema significativo com leveduras, eu recomendo que a dieta dele seja “zero açúcar” ou melhor, alimentos com baixo teor de vegetais glicêmicos, tais como batata, milho, trigo, arroz – todos os carboidratos precisam desaparecer numa dieta livre de açúcar. Este é realmente um passo muito importante.

oreganoEu gostaria muito de poder afirmar que a levedura é uma coisa fácil de tratar sem mexer na dieta, mas não posso. Seu animal precisa de uma dieta que o ajude a manter sua flora saudável em níveis normais e equilibrada.

A segunda coisa que eu recomendo é adicionar alguns alimentos anti-fúngicos naturais à dieta, tais como uma pequena quantidade de alho ou orégano. Ambos são alimentos anti-fúngicos e podem ser benéficos na redução do nível de levedura do corpo.

3a. PASSO: DESINFECÇÃO DA PELE

Além de fornecer uma dieta anti-levedura e alimentos anti-fúngicos, você pode fazer para ajudar seu cão à superar uma infecção por fungos desifectando partes do corpo ondem eles estão presentes.

Isso é muitas vezes esquecido, mas é um procedimento simples e barato para se conter o crescimento de leveduras no seu animal.

Na medicina humana, é rotina dos dermatologistas manter um protocolo específicos de limpeza das áreas afetadas pelas leveduras. A mesmo pensamento raramento é adotado na medicina veterinária, que não faz sentido nenhum e isso é vergonhoso.

Tipicamente, o veterinário irá lançar mão de prescrever um creme ou pomada, com instruções apenas de manter as aplicações nas áreas infectadas. O problema é que com esta abordagem, a levedura morre, forma uma camada de leveduras mortas por cima de outra camada de leveduras mortas.

A menos que você faça a remoção da camada de leveduras e desinfecte a pele, acrescentar pomada à camadas de leveduras mortas podem realmente exacerbar o problema.

Assim, temos que a desinfecção as partes do corpo do seu cão que está com fungos é muito importante. Não há pílula ou creme capaz de desinfetar o seu animal de estimação – só você mesmo pode fazer isso.

Se as orelhas do seu animal de estimação estão com fungos, você terá a desinfectá-los diariamente. Assim como algumas pessoas produzem muita cera e necessitam limpar os ouvidos diariamente, enquanto outros produzem quase nenhuma cera, o mesmo se aplica aos cães. Alguns cães quase nunca precisam de seus ouvidos limpos, enquanto outros precisam de uma limpeza quase diária.

A freqüência de limpeza é inteiramente dependente de quanto detritos as orelhas do seu cão produzem. Se você verificar que as orelhas do seu cão estão limpas, secas e não têm odor, você pode pular um dia de limpeza. Repetindo, a quantidade de limpeza está correlacionada com a quantidade de detritos acumulada no ouvido.

Se você não limpar essa sujeira, ela não vai desaparecer magicamente por conta própria. E a partir desta cera, pode crescer uma quantidade de leveduras, ou uma infecção bacteriana fulminante – a menos que você queira sempre lidar com isso.

Você pode desinfectar as orelhas do seu cão com soluções de limpeza, prefencialmente as soluçãoes naturais contendo calêndula ou hamamélis – utilize para isso grandes bolas de algodão. Use quantas bolas de algodão forem necessárias para remover todos os resíduos de sujeira das orelhas em cada limpeza.
Nunca use cotonetes dentros canais autiditivos do seu cão.

4a. PASSO: DESINFECÇÃO DE PATAS

As leveduras prosperam em ambiente úmido e nas fendas de pele – entre as almofadas dos pés do seu cão, por exemplo, nas dobras das axilas e na virilha, e ao redor da vulva e ânus. Então desinfectar essas áreas em um cão com infecção fúngica é realmente importante.

Uma vez que as partes do corpo por onde o seu cão transpira são o nariz e as almofadas dos pés –  durante os meses mais quentes e úmidos no ano, existe a tendência da população de leveduras prosperar e crescer. Assim, você vai precisar desinfectar as patas do seu cão.

Dependendo do tamanho do seu cão, você pode usar uma bandeja plástica grande ou uma bacia plástica. Se ele for pequeno, você pode simplesmente utilizar o tanque da lavanderia. Se você tem uma raça de tamanho gigante, você pode usar uma vasinha menor e fazer uma pata de cada vez.

O objetivo do processo é encharcar os pés, em seguida, secá-los. Pulverizar ou somente passar o produto na parte debaixo das patas não vai fazer fazer o mesmo resultado.

A levedura vive sob o leito ungueal e nos vincos de pele que você não irá alcançar sem que os pés fiquem submersos numa solução (de molho).

Eu recomendo uma solução de um copo de peróxido de hidrogênio, um copo de vinagre branco para um galão de água (3 litros e 700mL) – mergulhe as patas do cão nessa solução. Você pode usar esta solução quantas for necessária para manter os pés de seu cão limpo, inclusive pode usar mais de uma vez por dia.
Limpar e secar podem se tornar rotina sua.

Depois de mergulhar os pés do seu cão nessa solução adstringente (água + H2O2 + vinagre branco) não há necessidade de enxaguar, apenas seque as patas. Deixar a solução secar nas patas serve como antifúngico e também poderá reduzir a vontade de seu cão lamber as patas.

 5a. PASSO: BANHOS COMPLETOS

westie_bath

Se o crescimento das leveduras se dá no corpo todo, eu recomendo o uso de shampoo com ingredientes antifúngicos naturais. E sim! Você poderá banhá-lo quantas vezes for necessário.

No anos 30 haviam no mercado somente shampoos derivados do carvão e do alcatrão. Nos anos 40, chegaram os shampoos vieram os shampoos contendo enxofre, alcatrão, derivados de carvão e altamente detergentes e eles realmente prejudicavam a pele dos cães. Como resultado criou-se um conselho de que não se podia banhar os cães. Mas agora há uma abundância de shampoos seguros no mercado que irá provocar pele seca ou prejudicar a pelagem do seu animal de estimação.

Porém, desde que temos a informação que carboidratos e grãos, em última análise, alimentam crescimento das levedura, eu não recomendo que você use shampoos à base de aveia e derivados. A aveia é um cereal que fornece uma fonte de alimento para a levedura que está alojada na pele do seu cão.

Use um shampoo anti-fúngico feita a partir de óleo tea tree ou uma mistura de ervas (herbal). Estes irão ajudar a controlar a quantidade de levedura crescendo de uma forma natural.

Eu recomendo também usar o enxague anti-fúngico nos meses de verão, 1-3 vezes por semana após o banho. A solução é um galão de água com um copo de vinagre ou um copo de suco de limão. Você também pode usar 20 gotas de óleo de hortelã-pimenta. Todos os três itens deixarão um cheiro bem agradável no seu cão.

Após lavagem com shampoo, você pode usar esse enxague adstringente e naturalmente anti-fúngica para diminuir a quantidade de levedura. Nunca deixe essa solução entrar em contato com a cabeça de seu cão, principalmente com os olhos. Despeje a solução a partir do pescoço, esfregue o pêlo e a pele, ficando as áreas de crescimento da levedura – axilas, pés, virilha e ao redor da cauda. Em seguida, seque com toalha sem enxaguar. Seu cão vai se sentir melhor e as leveduras vão demorar a se replicar.

Um cuidado com o suco de limão ou peróxido de hidrogênio: eles podem clarear os cães de pelagem escura. Se você tem um cão preto, use apenas o vinagre pra evitar o clareamento do pêlo.

6a. PASSO: TRATAR INFECÇÕES RECORRENTES OU TEIMOSAS

Para muitos cães, problemas com leveduras são sazonais. Quando os níveis de temperatura e umidade dos dias sobem, esses cães apresentam cheiro de mofo. Se este for o caso do seu cão, você precisa ser vigilante com a  desinfecção e com a alimentação do seu animal de estimação nos meses em que as infecções ocorrem.

No entanto, se seu cão tem problemas durante todo o ano, ele pode estar passando por possíveis problemas com o sistema imunológico. Ele pode estar com o sistema imunológico sobrecarregado com um patógeno oportunista.

Na minha prática, quando recebo um animal com uma infecção recorrente por fungos (infecção teimosa), eu faço teste imunológico para medir os níveis de imunoglobulina (IgG, IgM e IgA). Geralmente, estes níveis estarão baixos nos cães com infeção recorrente por leveduras.

Se o cão está produzindo níveis saudáveis ​​de imunoglobulinas, ele deverá ser capaz de superar quase qualquer infecção, e particularmente uma infecção por fungos oportunistas.

Assista o vídeo original da Dra. Becker, de onde esse texto foi transcrito (em inglês):

This Post Has 12 Comments
  1. Andie, me indica um shampoo (uma marca mesmo) para fungos? Andei procurando e não encontrei. Vi vários artigos e análises, mas não encontrei nenhuma marca que venda pronto. Meu Otto está em tratamento de malassezia, secundária à dermodécica, o tratamento está andando (é lento, mas vai) mas acho que esse shampoo será muito útil. O exague de vinagre já está em uso é é realmente bom! Beijo e muito obrigada!!!

    1. Oi Amanda, desse post eu usei o orégano. Usei aqueles secos de pizza mesmo, vc tá usando? Achei que ajudou. Eu vi a linha da Virbac que eu gosto muito, mas você precisa falar com seu veterinário. Eu sinceramente, como profissional farmacêutica, gosto da fórmulas mais simples, pois assim podemos avaliar ao certo qual principio ativo está agindo – desse modo gosto do sabonete de glicerina com enxofre! O velho Granado é tudo de bom!

  2. Andie, sou eu, a Manu do Thor do RJ!! Saí do FB pra estudar melhor, mas algumas coisas fazem falta como as pessoas fantásticas que conheci por lá, como vc!
    Seu blog está perfeito e fervilhando, li tudo hoje à noite!! rss
    O Thor está com o problema do post acima e ri qdo vc falou do cheiro pq a gente tem falado “o Thor tá cheirando a Cheetos” rss Engraçada a piada, nada engraçada a situação dele de desconforto, coceiras e vermelhidão. Começou nas patinhas, agora está nas costas e perto das partes íntimas. A veterinária passou antibiótico, só que mesmo tomando com ranitidina e xantinon ele está vomitando o remédio. Já fui em vários veterinários, ngm resolve o problema dele e estou mto preocupada, com receio de o problema se alastrar.
    Tudo começou qdo mudamos a ração dele de puppy para adulto, a Hill’s Science Diet. Os veterinários insistem que a alimentação não está relacionada, mas lendo seu post eu percebo que pode ter tudo a ver.
    Se vc tiver alguma indicação pra me dar, pra nos ajudar, agradeceria imensamente.
    Saudades de vc, quando vier ao Rio me avise para vc ver como o Thor tá um rapaz educado e sociável graças as suas maravilhosas dicas!! Um beijão

    1. Manuuu, saudade de vocês! Sim, claro que a alimentação está relacionada. A primeira coisa que eu pensaria seria numa alergia e trocaria a ração – claro que o uso de antibióticos, também aumenta o número de leveduras, mas como ele anda vomitando né? E porque não pensar em alergia? Afinal estamos falando de Westies né? Cães quando estão com alergia vomitam a beça também!
      Quer um exemplo? O Odim é alergico à carne de porco. Outro dia esquecemos disso e lá estava ele, comendo pelo 2o dia consecutivo um pratão de carne de porco. Resultado? Coceira, vermelhidão na pele, lesões pela coceira, fungos…um estrago só! Aqui eu mudo logo a dieta do gordinho, retiro todo o carboidrato, troco a proteína, aumento a frequência de banho (uso o sabonete de gliceria granado com enxofre, assim trocamos o cheiro de cheetos por outro não muito melhor..rsrsr…mas faz parte) Quando ele tá muito atacado da síndrome de ansiedade e da hipervinculação peculiar é que a coisa demora mais a resolver. Mas quase sempre contorno com essas mudanças e com a homeopatia! No caso do Thor que come ração, eu apostaria numa ração de cordeiro e um pouquinho de orégano não fará mal algum! Eu sempre recorro a ele também por aqui.
      Olha esse link que a Emi postou em outro comentário: http://healthypets.mercola.com/sites/healthypets/archive/2009/12/16/thirty-seconds-to-relieve-your-pets-itchy-paws.aspx

      Lógico que quando eu for no Rio eu te aviso! Bjo grande em vcs e outro no Thor!

  3. Andie, vou procurar o óleo de pimenta-hortelã que vc indicou para usarmos na pele.
    Falei com a veterinária do Thor e ela pediu que eu começasse com peito de frango desfiado, cenoura ralada, arroz integral para seguirmos por eliminação. O que me deixa preocupada é o arroz que tem carboidrato, não é? E pelo que vc escreveu, pode agravar a situação dele. Então estamos atônitos sem saber por onde começar rs
    Vc tem alguma ração de cordeiro pra indicar? Pode ser a super hiper premium que a gente investe rs

    Beijo em vc e na sua família linda

    1. Oi Manu, existe a da pedigree: http://www.pedigreeexpert.com.br/#/detalha/Adult/Sensitive – que seria a super premium deles. Mas, você sabe que eu sou mais a favor da comida natural né? Se é de fazer megas investimentos, pq vc não faz a AN? Você vai alimentá-lo melhor e gastar muito menos…acredite em mim! Se vc optar pela comidinha, vá fazendo o cardápio do http://www.cachorroverde.com.br, ou então consulte com a Tula do Cão Natural, ela desenvolve um cardápio individual bacana pra vcs – em ambos os casos, vc pode optar pela versão cozida, se vc achar a crua uma mudança muito radical. Outra opção bem ai pertinho de você é o http://www.petdelicia.com.br – se você seguir a quantidade/dia vai ver que nem sai tão caro quanto vc imagina. Digo, 1 bandeja deve dar pra vários dias e melhor, é balanceado né? Lá existe opção frango, cordeiro, carne…vale a pena fazer a continha do investimento e comparar com o investimento numa super premium – afinal a ração tb vai ter carb. A loja do pet delícia fica em Copa e eles entregam tb.
      Gente, juro que não lembro desse óleo! Não era de semente de uva? Eu ainda acho que o banho com o sabonete glicerinado com enxofre e um pouco de humilac no final a melhor pedida pra elevar a barreira protetora da pele dele.
      Qto ao carboidrato: eu vejo isso de piorar a situação como verdade em num indivíduo aqui, qdo eu retiro o carb, meu Dindin melhora muito – mas isso parece ser uma coisa dele. De qqer forma, se vc falar com a Tula ela pode montar um cardapio pra vc sem carb – vc executa a receita, congela e pronto, tem comidinha de Thor pra 15 dias! Tanto a Tula quanto a Sylvia atendem pelo skype!

  4. O meu receio nem era financeiro, já que gastamos quase 60 reais por mês de ração com o Thor. Pagaria mais caro para tê-lo saudável. A questão era mais a do tempo de organizar tudo pra nunca faltar nada, para não faltar vitamina e etc. Fico com medo de não dar conta do recado. Mas, pela saúde dele, vou procurar o que puder para vê-lo bem! Vou tentar me organizar nos fds para deixar congelada as porções e procurar onde encontro todas as coisas necessárias pra ele entrar na dieta natural.

    Depois te aviso no que deu,

    Beijão!!

    1. Olha, com esse mesmo valor vc faz a festa da AN ai no RJ 🙂 É mais trabalhoso sim, mas dá pra organizar num fds e agilizar o dia a dia de 15 em 15 dias (se vc tiver um freezer maior, da pra fazer pra um mês). Se vc fizer uma consulta com uma das meninas, elas vão te dar uma receita prontinha, considerando as peculiaridades dele (no caso, a possível alergia)…dai depois só executar! Se eu consigo me organizar pra fazer pra 6, imagina vc com 1 só? Eu posso te dar as dicas do modo de fazer pra vc ganhar tempo – podemos conversar pelo skype!
      Beijinho….depois a gente faz um post contando pra todo mundo que “O Harry Thor agora é Hulk!” 🙂

  5. Olá, tenho um westie chamado Lipe, é a nossa alegria e também a nossa grande preocupação, ele está sempre com algum tipo de alergia. A quase um ano, trocamos a ração dele, para uma hipoalergenica, mas continua com as mesmas crises, já tomou várias vezes antibiótico, corticóides e nada resolve, sempre retorna, agora estamos utilizando uma medicação chamada CICLOSPORINA e um shampoo a base de corticóide(alegocort) e ele está com as patinhas, o bumbum, e praticamente todo o corpo vermelho e irritado, sem contar com as lesões na barriga, manchas vermelhas que parecem feridas. Já não sei mais o que fazer. tem alguma sugestão? obrigada.

  6. Eu gostaria de saber se é normal em westie algum problema gástrico ou intestinal . E o seguinte :
    Meu westie faz coco e nem sempre é aquele charutinho , muitas vezes o coco começa certinho como um charutinho e depois uns pingos de coco …
    Ele já fez exame de fezes e está super bem mas fico com uma pulga atrás da orelha quando o coco dele sai assim…. as vezes nesses pingos tem um pouco de muco (as vezes) mas ele está forte , come (enjoado para comer mas come) está esperto c pelo bonito ….
    Gostaria de saber se a raça tem esse tipo de problema , qual melhor alimentação para ele …
    Me ajudem ! Ele faz 1 ano este mês e já vou trocar a ração dele

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close search
Carrinho
Back To Top
Send this to a friend